ESTIRAMENTO MUSCULAR (STRAIN)  escrito em quinta 11 junho 2009 21:09

estiramento muscular

Blog de fisioterapiadesportiva :FISIOTERAPIA DESPORTIVA, ESTIRAMENTO MUSCULAR (STRAIN)

ESTIRAMENTO MUSCULAR (STRAIN)

“É uma lesão muscular indireta.” Pode ser causada por um alongamento das fibras musculares, além do seu estado fisiológico, assim como ser resultante de uma contração muscular excêntrica ou concêntrica brusca. O músculo é exigido, além da força que suas fibras podem gerar. Esta lesão é mais comum no momento de contração muscular excêntrica. O local mais acometido é a junção miotendínea ou na inserção tendinosa ao osso, o que ocorre com mais frequência na sua porção distal. Atualmente, com a melhora dos métodos de imagem, o local exato da lesão tem sido descrito. Há relatos de lesão na porção medial do gastrocnêmio, reto femoral, tríceps braquial, adutor longo, peitoral maior e semimembranoso.

Existem grupos musculares mais propensos a lesões. Estes se caracterizam por serem biarticulares, ou seja, ultrapassam duas articulações e são restritores do movimento articular. (Limitam e controlam a velocidade e a amplitude dos movimentos articulares.) Os músculos posteriores da coxa limitam a extensão do joelho com o quadril em flexão, assim como os músculos gastrocnêmios limitam a dorsiflexão do tornozelo com o joelho estendido. Outra característica comum dos músculos acometidos é o fato de estes trabalharem, maior parte do tempo, em contração excêntrica. Os músculos posteriores da coxa atuam não só na flexão do joelho, mas também, na desaceleração da extensão durante a corrida, e o quadríceps tem sua função principal na extensão do joelho, embora atue também na desaceleração na flexão. Estes grupos musculares apresentam uma grande quantidade de fibras musculares do tipo Il ou fibras rápidas. O tecido muscular é muito vascularizado, e capaz de gerar uma resposta inflamatória aguda em resposta à ruptura de suas fibras. A intensidade do sangramento é diretamente proporcional à quantidade de fibras musculares lesionadas. Quando o sangramento é de pequeno porte e não ocorre acúmulo de sangue, denomina-se equimose. Quando o volume de sangue é maior, denominamos hematoma.

O grau e a gravidade das lesões são baseados no número e na extensão das fibras lesionadas.

Podemos dividir estas lesões em três estágios:

Primeiro grau: é o estiramento de uma pequena quantidade de fibras. Ocorre dor quando o músculo é solicitado pela contração, especialmente contra a resistência. A dor localiza-se em um ponto específico. O edema pode estar presente. Ocorrem danos estruturais mínimos, a hemorragia é pequena, e a resolução é rápida.

Segundo Grau: Praticamente os mesmos achados do grau 1, só que com maior intensidade, geralmente encontrada na junção miotendínea. Resolução mais lenta, com diminuição maior da função e maior número de fibras Musculares lesadas.

Terceiro Grau: Ruptura Completa do Músculo, com completa perda de função e lesão palpável. Dor de leve a intensa com edema e hemorragia grandes.

Compartilhar

Faça um comentário!

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.
Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (54.211.230.186) para se identificar     

Nenhum comentário
ESTIRAMENTO MUSCULAR (STRAIN)


Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para fisioterapiadesportiva

Precisa estar conectado para adicionar fisioterapiadesportiva para os seus amigos

 
Criar um blog